Vírus Da Leucemia Felina 2

Vírus Da Leucemia Felina

O vírus da leucemia felina (VLFe, FeLV em inglês) é um retrovírus que infecta os gatos. O VLFe é transmitida entre os gatos infectados pela saliva ou secreções nasais.Este vírus causa um tipo de cancro das células do sangue, os linfócitos, quer dizer, uma leucemia. Os gatos infectados com VLFe são capazes de ser focos de infecção. Os gatos podem propagar o vírus entre si a partir da saliva, o contato sexual, as mordidas, entre gatos, a começar por uma caixa de areia ou um prato de comida usado por um gato infectado (duvidosamente acontece). Ademais, a gata podes difundir o vírus pra seus filhotes durante a gestação e através da amamentação.

VLFe e o HIV (Vírus que podes sobreviver durante diversas semanas e é estruturalmente idêntico ao VLFe). Pela falta de uma busca de credibilidade em ligação à sobrevivência do vírus no ambiente, você necessita ter cuidado que a sobrevivência não seja muito longa. O VLFe razão da imunossupressão em gatos domésticos, e bem como há evidências da subsistência do vírus em grandes populações de felinos selvagens (tendo como exemplo, o lince, o leopardo e o leão). As evidências epidemiológicas sugerem que VLFe não se transmite aos humanos, nem sequer pros cães.

Esta afirmativa se baseia no evento de que um cão doméstico de cada cinco vive com um gato, mais um menos, e todos os gatos domésticos vivem com humanos (por volta de 60 milhões de gatos domésticos nos estados unidos. IgG específicos, o que sinaliza que foram expostos previamente ao vírus e criou imunidade no recinto da infecção.

  • “, “By Violence” (Pela agressividade)
  • União e o envolvimento familiar
  • eu Quero voar
  • Espessura do colchão
  • Riley, o cão do jogo Call of Duty: Ghosts
  • Tartaruga de jardim
  • 5 raças de cães mais inteligentes

A transmissão do VLFe acontece principalmente a partir da saliva no decorrer dos comportamentos agressivos (petiscos/guerras) ou as trocas de fluidos corporais dos contatos sexuais. Acredita-Se que os contactos sociais, por exemplo a partilha de comedouros ou as tigelas de água e a higiene pessoal mútuo, representam um pequeno traço de transmissão.

Os filhotes são capazes de nascer com o vírus, tendo contraído de sua mãe no útero. A incidência da infecção é muito superior em gatos de cidade, de rua ou animais de estimação, os gatos rurais. Isso se necessita à densidade de população e a quantidade de contatos que os gatos têm uns com os outros. Existem 4 subgrupos de VLFe: A, B, C e T, contudo apenas o subconjunto de A é transmitida entre os gatos. Os outros grupos surgem mais uma vez e, como repercussão da recombinação com uma seqüência de DNA felino endógena. O que indica que esse vírus é muito velho poderá ter se adaptado aos gatos há mais de dez milhões de anos.

Os subgrupos são determinados com apoio na interferência viral e na gama in vitro de hóspedes. As diferenças precisam-se ao polimorfismo da glicoproteína gp70 com o mais alto grau de divergência, encontrado na região de gp70 que se acredita é o que interage com o receptor celular. Em uma célula infectada, acredita-se que o gp70 bloqueia os receptores virais, que previne algumas infecções do mesmo subgrupo. A doença pode produzir uma ampla gama de efeitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima