Social Buy, Uma Ferramenta Para Comprar A partir do Facebook 2

Social Buy, Uma Ferramenta Para Comprar A partir do Facebook

Sergio Cortês quis recolher proveito das mídias sociais e levá-las ao plano comercial. —O que é Social Buy? —O que é o Open Graph? O Social Graph, é um conceito sociológico que se menciona ao mapa global de conexões sociais que cada pessoa desenvolve em volta a ela, dentro dos espaços participativos de Rede, como as mídias sociais.

Facebook reconhecida há anos esta oportunidade e dessa maneira pôs uma ferramenta chamada Open Graph à aplicação de desenvolvedores externos a começar por uma aplicação aberta. Open Graph é concebido pra tirar partido de toda o detalhe dos perfis dos usuários. Ou melhor, cria mapa global de relações pra cada perfil. Seu recém-lançado procura “Graph Search” está baseado nesta tecnologia. —Quais são as vantagens que fornece o “social commerce” em frente ao comércio “online” tradicional? Do mesmo modo que as plataformas de venda migraram para a internet, dando espaço ao chamado e-Commerce, os espaços de venda online começam a ter presença nas mídias sociais. Entramos na nova era do comércio eletrônico: o chamado Social Commerce.

É a prosperidade natural do comércio eletrônico habitual, que aproveita o potencial das redes sociais pra aperfeiçoar o índice de conversão em termos de vendas. Trata-Se de uma maneira de estar, onde as pessoas estão, construindo plataformas de venda mais eficientes, que permitam personalizar a oferta e Social Commerce é a expansão natural do comércio electrónicoadaptarla aos seus gostos e interesses dos freguêses. Podemos diferençar entre 2 tipos de proveitos: privilégios para o vendedor e proveitos para o consumidor encerramento.

em Relação ao primeiro, a introdução do componente social dentro do recurso de compra representa um aumento de vendas e a conversão em qualquer loja on-line. Isso está associado a um acréscimo do tempo de permanência e do ticket médio. Entre as vantagens pro consumidor final, destaca-se a alternativa de desfrutar de uma experiência social e personalizada de compra. Ao entrar nessas algumas lojas, os usuários visualizam os produtos que aperfeiçoar se encaixam com teu perfil e gostos, como também têm a possibilidade de interagir com seus colegas pra pedir críticas ou apresentar a compra. Ademais, os utilizadores podem aceder a descontos essenciais por viralizar os produtos de uma marca ou prescribirlos.

Em resumo, com o social commerce, o usuário desfruta de um procedimento de compra mais amigável, pessoal e interativo. —Quais são os para o e contras de adquirir pelo Facebook? —Em Portugal custou reunir o comércio a partir da internet e ainda os compradores se comprovam desconfiados. Será que Esta é uma trava na hora de definir o “social commerce”?

  • Um Questionário da UNESCO
  • o que acontece com a lei da oferta e da procura
  • quarenta e dois Belém Marrero
  • 18:34 horas. Rigorosos controles de segurança pra acesso ao estádio
  • portfólio
  • Hawks 98-113 Raptors: Asas cortadas
  • 30FÚTBOL / premier
  • dois Patagônia rebelde

—Você compra melhor ou mais no Facebook? Quais são as garantias a respeito da protecção de fatos particulares, como números de cartões de crédito? Depende muito da estratégia de cada corporação. Devemos ter em conta que o Facebook é um ambiente de venda raro, em que as organizações não têm clientes, porém fãs.

desta forma, tuas expectativas são muito maiores do que as de um visitante médio, e esperam que a marca contribua com um valor acrescentado. Neste sentido, o F-commerce dá certo super bem quando as corporações oferecem uma proposta única e diferencial dentro de sua página de Facebook: produtos exclusivos, descontos pra seus fãs, novidades, etc.. Contudo, quando o F-commerce se limita a uma duplicação exata da estratégia de venda on-line tradicional, sem nenhum tipo de valor adicionado, assim nem sempre os resultados são bons.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima