Quatro Histórias De Empreendedores 2

Quatro Histórias De Empreendedores

Não é por acaso que o Barcelona está em todos os rankings mundiais de cidades inteligentes. E semana que vem Telefônica consumada no Centro de convenções Internacional da cidade (CCIB) o Móvel Forum Conference, em que se abordará como as tecnologias conseguem auxiliar para a inclusão social. A capital catalã voltará a ser em poucos meses a capital do universo do móvel. Em plena instabilidade, a cidade está apostando nas algumas tecnologias. O que torna o gerenciamento, porém, acima de tudo, os cidadãos, promovendo-se, em fração, com a dura recessão.

Esta semana, um dos gurus tecnológicos que estiveram no Smart City, Arvind Satyam, explicou a esse jornal que era a décima segunda vez que viajava esse ano pela cidade. Por intermédio da sede da Cisco em San Francisco: à procura de talento. Até imediatamente não voltou nunca com as mãos vazias. Smart City voltou a juntar dezenas de empresários locais.

pequenas Empresas, com apoio em inovação muito sólida, com modelos que não ultrapassam a dezena de pessoas e que aspiram a uma radiante carreira. Tudo isto, em Barcelona. É o caso de Starlab, uma das corporações mais antigas que participaram no encontro de investidores que organizaram Smart City e a Mobile World Capital em Fira. Starlab Barcelona fazia parte de um projeto europeu que falhou.

Se salvou graças a economista Aina Maiques e seu marido, o físico Giulio Ruffini, firmes defensores da ciência como aliada do empreendedorismo (e seus trabalhadores se sentem portanto: empreendedores). Dez anos trabalhando em sistemas de observação espacial e na investigação uma neurocientista. São os criadores de Enobio, um capacete sem fio que permite que a pessoa que o leva a conceder ordens mentalmente a um robô.

Seu último projeto é Smartirrigation: um sistema de irrigação pra campos de cultivo e jardins públicos. Terra. Engenheira de Telecomunicações e, desse jeito, uma rara avis por este universo de cientistas tecnológicos -“Não, não éramos muitos oferta teles”, reconhece-. Ela é quem se encarrega de vender esse último projeto. Uma ideia a mais de uma corporação com mais ou menos 30 trabalhadores -entre vinte e 40 anos – com um potente currículo académico. Moreno, em procura de investidores e compradores internacionais (apesar de a câmara Municipal de Barcelona poderia ter sido exibido neste instante interessado).

O sistema avalia diferentes variáveis reais, como a umidade real do solo ou as necessidades da planta em peculiar. Mas como ele faz isto? Estes dispositivos instalados na terra, sondas, acham-se conectadas a satélites especiais -um dos fortes de Starlab, que tem como consumidor a Agência Espacial Europeia – que medem todo o tipo de variáveis ambientais. Mas quem rega, seja um agricultor ou um trabalhador de parques e jardins, apenas precisa escoltar as instruções.

A curto prazo, a ideia é que este projeto possa passar a ser uma organização distinto Starlab. Porque o modus operandi da corporação é a de investigar, possuir uma idéia, incubarla e lançá-la ao mercado. Criaram uma organização de consultoria, destinada principlamente aos municípios. Mesmo com a queda ficou algo mais: em um observatório econômico, em tal grau pra administração como pra empresas e os particulares, que prontamente lança um portal imobiliário de observação pela web: Eixos.

  • Registado em: Vinte e cinco fev 2017
  • Paulo, quando vai sair o video do alquimista
  • 3 Russo e o regresso de Juan Román Riquelme (2007)
  • Registado em: 15 out 2003

Eixos -muito em breve, haverá assim como uma app mobile – é totalmente gratuito pro usuário. Onde está o negócio? Eles elaboram a base de fatos do portal por intervenção de documentação oficial. Dados que lhes podem servir pra fazer a observação de áreas específicas (se são ruas com uma alta rotação em zonas azuis, neste instante sabem que se trata de uma zona que costuma ter bastante movimento).

Ou tudo que se encontram no ciberespaço. Mas, acima de tudo, trabalhar sobre isto os dados que podem, a uma caminhada de avenida, sua meia centena de colaboradores. Com esse jeito, obtêm o detalhe precisa, real, que não sai nos relatórios e que está comprovada. Informação de primeira mão que imediatamente foi pago, por exemplo, a Nokia.

Também trabalham para muitas instituições, neste caso, como um observatório econômico, investigando todos os dados que recolhem regularmente. O detalhe é poder, e assim como é negócio. David Nogué, quem leva quinze anos trabalhando pra si mesmo -circunstância que não muda-. Agora mesmo, têm analisados mais de 100.000 estabelecimentos. E, à margem de construir o seu projeto em Barcelona, assim como estão trabalhando em uma versão pra São Paulo e para Paris. Depois de 18 anos trabalhando numa empresa de serviços de ti, há 6 meses Oriol Bes decidiu que era o instante de fazer teu sonho: trabalhar em um projeto teu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima