O Governo Revogará Parte Da LOMCE E Religião Não Será Computável Na Nota 2

O Governo Revogará Parte Da LOMCE E Religião Não Será Computável Na Nota

Em resposta às questões levantadas pela deputada do PP Sandra Moneo, a ministra explicou que “a LOMCE não se poderá anular visto que a gente ia ficar sem legislação educacional”. Também, por ser uma modifacción de outras leis orgânicas, adicionou, a opção do Governa é a de “transformar, modificar, endireitar os aspectos que foram mais vulneradores” dos princípios que o Executivo socialista atribui à educação pública. Também, garantiu que “as reválidas irão diminuir” certamente, depois que o Governo anterior havia suspenso pra efeitos acadêmicos.

Agora, diz, será definitivo. Celáa apostou por um sistema educativo “pra todos e todas” e que “não deixe ninguém para trás”. Entre estas novidades, a ministra anunciou a criação de uma nova obediência para “oferecer os valores comuns de liberdade, tolerância e não-distinção”, em linha com uma iniciativa da UE consubstanciado pela Declaração de Paris.

  1. Assistente virtual
  2. 12+1. A Tribo: 399 € + IVA, por ano
  3. Define os canais
  4. três Ver bem como
  5. Os projetos de adaptaran o tipo de tela
  6. 19:00h.- NBA playoffs, jogo 1: SAN ANTONIO-MEMPHIS,

Por outro lado, o Governo também idealiza fazer modificações sobre a obediência de Religião, que deixará de ter efeitos pela nota e que neste instante não estará acompanhada por uma obediência escolha para aqueles que não querem cursarla. Na sua intervenção diante a comissão parlamentar, a ministra fez um fechado declaração a favor da escola pública “pra ganantizar o direito à educação e a coesão social”. Celáa contestou que a instituição de ensino pública seja “subsidiária” da privada e convencionada, nesta segunda, cota também da educação pública, entretanto pra que assim como anunciou mudanças.

No outro extremo, Moneo (PP) manifestou duas preocupações: “o papel dos padrse como os primeiros responsáveis da educação dos filhos e a independência de ensino”. Outros nem sequer tanto, como aponta que Celáa se tenha referido a “uma circunstância excepcional, em novas escolas concertadas” que diferenciam a meninas e bebês por razão de gênero, e que ainda dessa forma recebem o concerto. Celáa admitiu que são “muito poucos” estes centros, porém divulgou que o Governo vai abrir um diálogo com eles, pra “acordar um paradigma mais igualitário e com maior valor inclusivo”.

A ministra admitiu que há uma decisão do Tribunal Constitucional que diz que a separação de bebês e gurias é fantástico “, mas não significa que uma outra fórmula, não o seja”. Assim sendo, disse, “vamos abrir um diálogo, temos a convicção de que uma instituição mais inclusiva e igulalitaria que permita às mulheres educar-se com os homens e dos homens com as mulheres dá melhor efeito”.

O intuito, disse a ministra, é “cortar a elevação de índices de sala de aula, o acrescentamento da jornada horária docente pra restituir as dezoito horas semanais e o tempo de dez dias para a substituição de baixas de professores”. Celáa também anunciou que o Governo vai revogar os “itinerários segregadores da LOMCE” a partir dos treze anos e que “condicionam as opções dos alunos de acordo com seus rendimentos”.

Rate this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima